Uncategorized

Por que desromatizar a maternidade?

Vou te contar aqui por que um dia eu senti a necessidade de desromatizar a maternidade, ponto este que culminou para o surgimento do blog.

Quando eu descobri que seria mãe, eu não sabia o que realmente estaria me esperando. Afinal de contas, quando não vivemos uma situação nós não conseguimos entender como funciona, né?! A gente precisa viver pra saber entender como é. Antes de ter filho eu não imaginava quão difícil seria maternar e que haviam tantas coisas para me adequar Ex.: corpo, tempo, carreira, casamento, amizades, etc.

O que eu sabia era o que a mídia e as pessoas ao meu redor falavam: Que ser mãe é lindo, que é instintivo, que é mágico. O que me fez escolher ser uma mãe que não existe, uma mãe “perfeita”.

Dentre as coisas que eu ouvia sobre maternidade, uma frase em especial me chamou a atenção, pois eu não conseguia entender: Ser mãe é padecer no paraíso. E essa é uma verdade. Consegui entendê-la logo no primeiro mês de nascimento do meu filho.

A maternidade é cheia de delícias realmente, mas também é cheia de dores. E essas dores quase não são compartilhadas e ter que descobri-las na prática é realmente padecer no paraíso.

Quando meu filho nasceu, eu me encontrei com essa maternidade que eu não conhecia… E a idealização da maternidade perfeita fez com que eu esperasse viver uma maternidade que na real não existe. Foi duro descobrir como o modelo de maternidade “perfeita” exigido pela sociedade aprisiona tanto as mães, descobrir que nos sentimos tão sozinhas mesmo estando acompanhadas, descobrir como maternar é difícil e eu não quero ter medo de falar sobre isso. E quero que outras mães possam se libertar e falar também.

Por que tem que ser segredo falar das verdades da maternidade?

Por que a mídia só fala das coisas boas?

Por que a sociedade nos julga e diz que a mãe que conta a realidade sobre a maternidade não ama seu filho e é uma mãe ruim?

A resposta é que somos muito julgadas se falarmos sobre nossas dores. E na maioria das vezes, sofremos caladas. A sociedade precisa entender que sim, amamos nossos filhos mais que tudo, mas maternar dói.

Desromantizar a maternidade é libertar as mães desse papel social explorador onde julga-se que temos que viver apenas para sermos mães, sem expor nossas dores!

E eu quero dizer que nós mães podemos sim falar sobre as dificuldades, podemos e devemos sim pedir ajuda quando preciso.

E eu te digo: Ei mamãe, você não está sozinha. Estou aqui com você!

Vamos junto comigo desromantizar a maternidade.
Venha fazer parte dos nossos Grupos de Apoio Materno!
Estamos no WhatsApp: http://bit.ly/grupomamaeblogueirawhatsapp
E com encontros presenciais na cidade de Jacobina-BA.
Novas turmas a partir de fevereiro 2020. Fica ligada no Blog para descobrir como participar!!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *