Colunistas

Pra que esse tal de autocuidado?

Por Aline Gomes

Autocuidado.
Esta é uma palavra que você já deve ter escutado bastante, afinal o autocuidado ou self-care (pra ficar mais chique) tem sido tendência nas redes sociais.

Com rotinas cada vez mais pesadas, mulheres precisam fazer malabarismos para conciliar todos os seus papéis sociais (mãe, funcionária ou chefe, esposa, namorada, estudante, filha, amiga, irmã e por aí vai). Este corre-corre associado à ideia cultural de que mulheres são cuidadoras em sua essência, são a junção perfeita para que a mulher não use seu tempo para cuidar de si mesma, esquecendo-se que práticas de autocuidado são fundamentais para a saúde física e emocional.

Vou te contar uma coisa que cresci vendo acontecer na minha casa e acredito que na sua também pode ter ocorrido, e mesmo que por aí não tenha sido assim, tenho certeza que você já presenciou esta cena na casa de alguém.

Minha mãe sempre foi uma mulher insegura e cheia de responsabilidades como esposa e mãe. Quando nos reuníamos para fazer alguma refeição (o que era meio raro, verdade seja dita), ela cuidava para que todos estivessem servidos e bem alimentados para só depois ela sentar-se para comer.

Apesar das muitas mudanças culturais e dos avanços que já conquistamos, deixar-se para depois ainda é uma prática comum no meio feminino. E a Síndrome do Ninho Vazio, já ouviu falar sobre ela? Este é um nome dado à mulheres adultas que entram em estado depressivo após perderem a única coisa que fazia sentido à vida delas: cuidar dos filhos e/ou do companheiro.

Esta também não é uma cena tão rara não é mesmo? Sem dúvida você também conhece ou já ouviu falar de alguma mulher nessa condição. Observe que adiar ou muitas vezes nem realizar o autocuidado é algo comum para as mulheres.

Quando viajamos de avião recebemos uma excelente instrução de segurança: “caso falte ar na cabine, automaticamente máscaras de oxigênio cairão no seu colo. Mas atenção, coloque primeiro a sua máscara para então ajudar alguém que esteja precisando. Acredito que essa simples instrução pode nos trazer um grande ensinamento: jamais esqueça de se priorizar.

Cuidar de si mesma te torna, inclusive, mais preparada para cuidar daqueles que ama por dois motivos.
Primeiro: porque só é possível dar o que se tem.
E segundo: porque se você não estiver bem, não conseguirá dar conta de muita coisa.

São nas pequenas ações que o autocuidado se inicia e umas das principais consequências de cuidar de si é o aumento da autoestima. Só não esquece que o autocuidado não se resume apenas aos cuidados com o corpo. Na verdade, a mente assume o papel principal quando falamos sobre o assunto, afinal se não estiver tudo bem emocionalmente nada funcionará direito.

 

Texto colunista

Aline Gomes-Psicóloga
@psicologaalinegomes
CRP 03/10764
Saúde emocional para mulheres

 

 

Gostou do post? Deixa aqui nos comentários!
Você também ode gostar desse: Mamães, transformem suas dores em sabedoria

Siga-nos em nossas redes sociais:

Instagram
Facebook
Pinterest

Participe do nosso grupo no whatsapp: Participar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *