Colunistas

Mãe, dona de casa e FlyLady

Olá!

Quando foi a última vez que você lavou a caixa de descarga do seu banheiro? Ou limpou em cima das portas? E o estrado da cama… já foi aspirado esse ano? Se eu te perguntar quando sua escova de dentes foi trocada pela última vez, você saberia responder?

E se eu te contasse que é possível manter esse tipo de organização doméstica sem ter um chicote por perto, você acreditaria?
Bem, primeiro preciso dizer que não é preciso polir os parafusos da estante da sala para que ela esteja limpa… ou esfregar os rejuntes da pia com escova de dentes para que ela fique brilhante!

Acho que o problema está como fomos criadas… não sei com vocês, mas cresci com a rotina de “sábado é dia de faxina”.
Cadeiras em cima da mesa, roupa velhinha, esfrega-esfrega-esfrega, lava-lava-lava… ao final do dia, estava mooooorta de cansada, mas tudo estava brilhante e imaculadamente limpo – até o almoço de domingo, quando parecia que a casa nunca tinha visto sequer uma vassoura!

Ah! E só as mulheres da casa limpavam! Isso é coisa de menina!!

Antes de ser mãe em tempo integral, eu trabalhava mais horas do que consigo contar e, nas poucas horas que estava em casa eu amaldiçoava cada prato que tinha que lavar, cada roupa que tinha que passar… aquilo era o fim para mim!

Então os gêmeos adoeceram e já não compensava mais trabalhar tanto…
Quando me vi em casa em tempo integral, tive alguns problemas mais gritantes: a casa estava entulhada com material didático que eu recusava a me desfazer (porque um dia eu volto), as crianças, com então quase 2 anos, não deixavam nada no lugar ou limpo, e eu não sabia como aproveitar meu dia!

Não vamos nem começar com a minha insatisfação em ser dona de casa… isso era muito “o fim do mundo” para mim!
Como assim, estudar tanto, para “terminar” como dona de casa??

E então eu conheci o FlyLady.
Não, não é uma formula mágica que deixa a casa limpa em organizada em 3 passos simples.
Nada parece simples quando a gente olha de cara feia para uma determinada situação, né?
Mas eu fui percebendo que o “ser dona de casa” é também empoderar-se. É tomar as rédeas da situação e fazer o melhor que puder ser feito, respeitando nossos limites e, principalmente, sendo gentil conosco no processo.

Para começar, precisamos ir além dos quadros lindinhos da decoração que pregam “good vibes” e “aqui mora gente feliz” para pensar a casa como lar.
Sim, tem poeira, tem cesto de roupa suja (muitas vezes transbordante), tem pia cheia de louça… Bem, é só olhar para sua própria casa, ou para os posts de “maternidade real” do Instagram.
Mas também é possível ter toalha fofinha, banheiro cheiroso, cuecas e calcinhas na gaveta, prontas para o uso!

Acho que a primeira mudança que rolou aqui foi como me vestia.
Você também tem “as roupas de dendicasa”? Elas geralmente são velhas e puídas?
Se a escola ligar porque seu filho caiu e está sendo levado para o pronto socorro, você só pega a bolsa e sai ou vai correr o risco de sair de casa com uma blusa cheia de respingos de água sanitária?
Se a moça da vigilância sanitária pedir para usar o banheiro (depois de te olhar com cara de “menas” porque viu o caos da sua lavanderia) você mostra onde é ou finge um ataque cardíaco?

Vem comigo: DONA de casa. A casa te pertence e não o contrário!
Você já viu uma dona de loja trabalhando arrastando as chinelas? Se somos as proprietárias da casa, ela nos serve, e não o contrário! E, principalmente, ainda que tenha, não nos misturamos com a poeira da casa! 

Te faço agora um desafio: que tal separar uma roupinha confortável para amanhã?
Não precisa ser salto e vestido! Lembre-se que você vai abaixar, levantar, lavar, secar, levar criança ao banheiro…
Mas também não precisa ser a calça que não dá mais para ir para academia porque já está toda descosturada… não vou nem falar do pijama!
Sinta-se bem em sua própria casa! Onde tá escrito que não pode passar batonzinho, hidratante, perfume mesmo se não for sair? 

Venhamos e convenhamos: a gente não precisa gostar de limpar a casa, mas não fica beeeeeem mais fácil se a gente se sentir lindinha?
Ai já aproveita para ir descartando as roupas que já estão pela misericórdia, e usa aquelas que estão ali, esperando um dia especial. O dia especial é hoje! Se tem uma coisa que os últimos acontecimentos nos mostraram é que a vida é um sopro! Vamos aproveitar!

Abraços virtuais,

Beca.

 

Por a colunista Rebeca Pinho
 @acasadateacher

Colunista quinzenal
Falando sobre maternagem e organização doméstica, de forma leve e bem humorada!

 

Gostou do post? Deixa aqui nos comentários!
Você também ode gostar desse: Vida de uma mãe em tempos de Coronavírus

Siga-nos em nossas redes sociais:

Instagram
Facebook
Pinterest

Participe do nosso grupo no whatsapp: Participar!

 

VEM SER UMA MÃE EMPREENDEDORA DIGITAL: Participa do nosso Grupo VIP no WhatsApp (Link na BIO do @maeempreendedoradigital_) que te conto como você pode trabalhar no conforto da sua casa, pertinho de seus filhos e ainda assim conquistar sua independência financeira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *