Colunistas

Uso da agenda em tempos de quarentena

Esse bem que podia ser o post da vergonha, mas tô tentando ser mais gentil comigo, então… #abafa

Nós, colunistas do blog, temos um cronograma de envio de textos para a Héllen. Bem, eu fui umas das incentivadoras para que a coisa continuasse, mas adivinhem? Fiquei tão envolvida com as aulas online e trabalhos por fazer das crianças que, para variar, esqueci de mim (pausa pra aquele emoji da menininha com a mão no rosto). Mais tarde falaremos sobre auto gentileza, mas agora… vocês também estão meio loucas com as crianças em casa 24h por dia, 7 dias por semana?

Para quem não sabe, sou professora.
Adoro trabalhar com crianças.
Sou da turma da meleira! Gosto de atividades sensoriais, com elas interagindo e sendo participantes do processo. Até entrarmos em quarentena (mais uma pausa pra aquele emoji da menininha com a mão no rosto).

Não sei se foi ver tanta morte nos jornais, tanta informação direto no telefone, ali, na palma da mão – ainda tenho pesadelos com aquelas cenas de cortejos de caminhões com mortos na Itália, corpos sendo retirados com empilhadeiras em NY, covas coletivas no norte do Brasil… – enfim, perdi a mão na organização. Demorei a me encontrar nessa nova realidade.

Completando o caos, as benditas aulas online!
Gente, tô quase à beira de virar aqueles áudios que têm rolado no WhatsApp, de pais desesperados, gritando que estão loucos e que vão tirar as crianças da escola. Quase!

Eu sou muito visual. Gosto de esquemas e planilhas. Ticar para marcar as tarefas já concluídas, então… Armaria (agora, pausa praquele GIF de coraçõezinhos saindo dos olhos).

Vou contar para vocês o que tem funcionado aqui.
As tarefas dos meninos estavam atrasadíssimas! Meu perfeccionismo não me deixava só sentar e fazê-las! Então, passei a anotar nas agendas deles o que a professora solicitava. Abria uma data, escrevia o que precisava ser feita e mãos à obra!
Para não ficar só escrevendo-escrevendo-somando-diminuindo e escrevendo mais uma vez, intercalamos com leitura – e não só leitura de livros, tradicionais, mas de gibis, contos, fábulas – e desenhos ilustrando o que mais gostaram desse momento.

Aproveito, então, esse momento que todos estão entretidos para tomar um café em paz e manter a sanidade, porque é cada grito que a gente segura…

Voltamos, aqui para o momento da auto gentileza. Estou REaprendendo a me tratar bem.
É muita coisa, gente!
O marido vai ao mercado e preciso escrever a lista tipo “sabão de coco brilhux 3L embalagem branca” ou ele me traz o trem mais barato (e vagabundo) que achar pela frente. Aí quando chega em casa, tem que higienizar os produtos, descartar as sacolas, lavar as roupas da rua… Por falar em roupas, as de vocês também tem se multiplicado??? Aqui tá pela misericórdia! E não vamos nem falar dos lanches infinitos durante o dia!!

Então, acho que é normal estar descompensada, né?! Depois de fazer um planejamento para a casa, para os meninos, talvez seja a hora de pensar em mim… primeiro para não ficar me sentindo imperdoável por ter esquecido a entrega de um post e também para lembrar que eu também preciso de cuidados!

Por enquanto, vou repetindo o mantra do “respire, tome as vitaminas, um café e vamos para a vida!”

Abraços virtuais,

Beca.

Por a colunista Rebeca Pinho
 @acasadateacher

Colunista quinzenal
Falando sobre maternagem e organização doméstica, de forma leve e bem humorada!

 

Gostou do post? Deixa aqui nos comentários!
Você também ode gostar desse: Vida de uma mãe em tempos de Coronavírus

Siga-nos em nossas redes sociais:

Instagram
Facebook
Pinterest

Participe do nosso grupo no whatsapp: Participar!

 

VEM SER UMA MÃE EMPREENDEDORA DIGITAL: Participa do nosso Grupo VIP no WhatsApp (Link na BIO do @maeempreendedoradigital_) que te conto como você pode trabalhar no conforto da sua casa, pertinho de seus filhos e ainda assim conquistar sua independência financeira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *